Nascida no Amazonas - Brasil e com ascendência direta de portugueses e de índios da etnia Sateremauê (Sateré-Mawé), foi criada por sua avó, uma "benzedeira" amazonense que lhe transmitiu os ensinamentos e rituais da tradição indígena.

Desde os 5 anos de idade a acompanhava em benzimentos junto aos índios nativos que habitavam em tribos das margens do rio Negro, com os quais coabitou até a sua adolescência.

Em 1982, habilitou-se em administração de empresas. Acabado o curso, dedicou-se à área de publicidade onde obteve grande sucesso. Em meados de 1994, abdicou de tudo: sua profissão, o sucesso e a estabilidade para dedicar-se ao estudo e pesquisa das práticas e tradições indígenas.

Posteriormente, viveu e interagiu com mais de 10 aldeias indígenas no Brasil, Peru, México, Equador e Estados Unidos.

Participou de formações, seminários e retiros espirituais , aprendeu diversos métodos de curas indígenas e diferentes formas de percepção para crescimento Espiritual, Físico, Mental e Emocional do Ser.

Na India, já como Xamã Anna Xara, após um mergulho no Rio Ganges, recebeu seu grande chamamento: dedicar-se à cura do próximo.

No ano de 2009, fundou a Escola Gaia de Xamanismo e Educação Ambiental, que tem como missão transmitir a sagrada sabedoria indígena universal.

Em 2010, recebeu outro chamamento: iniciar um trabalho em Portugal, para promover o resgate do perdão entre o Índio e o Português,com o intuito de que estas nações fossem libertas de todos os grilhões e Karmas do passado para que nada lhes impedisse de serem verdadeiramente livres e prósperos.

Após anos desenvolvendo trabalhos junto à tribo Pataxó Aldeia Velha, de Arraial d´Ajuda/BA, Anna Xará foi reconhecida e honrada como Pajé pela respeitada anciã Pajé Jaçanã em Janeiro de 2015.

Como Xamã e Pajé, desenvolve práticas de integração entre corpo e mente, através dos quatro elementos: ar, água, terra e fogo.

Está disponível para consultas individuais, nas quais promove um trabalho de cura profundo, utilizando os métodos de: